Encontro de almas



A expectativa por esse momento era alta.


Foram meses de altos e baixos na relação do Tintin com a barriga da mamãe e com o assunto irmãozinho/irmãzinha, naturalmente dominante no dia a dia da família.


A verdade é que não é tudo tão fácil e bonito quanto sugerem os stories do instagram, né? Martin passou isento do tal ‘terrible two’, mas junta o ‘three’ com o ‘new baby’ e pronto, a montanha russa tá montada. Variações de momentos de amor com a barriga com outros de birras absurdas, frases que não sabemos de onde ele tirou, malcriações que no fundo sabíamos que tinha a ver com todo esse processo.


Lembro quando fomos levar Martin pra casa e fizemos toda uma preparação com a Tinha, nossa cachorra. Tadinha, ela é a que mais sente tudo isso e dessa vez ficou de escanteio. Cuidados redobrados e estratégia montada com o agora irmão mais velho: papai voltou uma noite antes do hospital pra já preparar o terreno. Vimos filme, comemos pipoca, dormimos juntos. Acordei com a ansiedade mais linda e natural que já vi: ‘papai, Teresa chegou? Está na sala? Na cozinha? No quintal?’. Mais tarde, na hora de chegar em casa, mamãe entrou primeiro e eu fui lá fora buscar a pequena. Martin nem se preocupou em fingir: ‘mamãe, cadê a minha irmãzinha?’.


O resto, bom, nenhuma palavra que eu escreva vai demonstrar melhor o que foi esse momento. São 5 dias de vida, 3 deles em casa. E, até aqui, nenhum minuto poderia ter sido melhor. Martin segue o mais amoroso possível com a irmã. Não tá nem aí que ela não veio pronta pra correr e brincar com ele por aí – pelo contrário, se diverte que ela é pequenina, falando dos dedinhos dela, do pezinho fofo dela, e a gente fica só dosando o lado Felício dele, porque exigir noção dessa força já é demais, né? 😅


Por aqui é assim que seguimos. Nas nuvens, no delicioso êxtase sem fim pós parto, babando em dobro com as crias e com tanta vida que temos pela frente. Com eles nos lembrando que no fim, quem cria todos esses medos somos nós. E eles estão aqui justamente pra isso, pra nos ensinar.


A verdade é que não é tudo tão fácil e bonito quanto sugerem os stories do instagram. Mas, nesse exato momento e encontro de almas, sim, é. 💛