3 anos em terceira pessoa



3 anos.


O sonho só melhora.


Ele ainda guarda o cheiro e a fofura de um bebê, mas já é um molecão.


Às vezes me pego olhando pra ele dormindo, e me assusto com o tamanho das pernas: ‘cadê meu bebê?’. Em outras por impulso fico bravo por algo errado, dou bronca e na mesma hora me encaro internamente: ‘mas ele é só um bebê!’


Pois ontem nosso bebê-moleque comemorou três anos tendo vivido várias fases deliciosas. Amoroso, atento aos detalhes e às memórias, gosta de falar que somos fofinhos demais. Cheio de manias que vêm, vão e deixam saudades, gírias da primeira infância que eu queria que ele continuasse falando pra sempre. Uma das minhas preferidas segue firme: Martin gosta de falar em terceira pessoa. ‘PapaiFe, Martin quer quer comer alguma coisa.’ ‘Martin foi na praia’, ‘Martin deu um beijo no papaiFe’ e por aí vai. Não fala o C e ainda vacila com algumas letras, mas já fala de tudo e o melhor, em terceira pessoa. Quer coisa mais divertida?


O sonho só melhora. E ter esse moleque de pernas compridas e falando em terceira pessoa ao meu lado me faz ser uma pessoa melhor. Acreditar num futuro melhor.


Parabéns, meu filho. PapaiFe te ama e está ansioso por tanta vida que temos pela frente. 💛